Em tempos difíceis, um compromisso com São Paulo e o Brasil

“Assédio eleitoral” diz Neto sobre pedido de voto útil a ciristas pelas Centrais Sindicais

A CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros), próxima do PDT e de Ciro Gomes (CE), reagiu ao manifesto de Força Sindical, UGT (União Geral dos Trabalhadores) e outras centrais sindicais que se dirige aos eleitores do ex-governador do Ceará e pede que eles considerem o voto útil em Lula (PT) para encerrar a votação no primeiro turno.

Antonio Neto, presidente licenciado da CSB e candidato a deputado federal em São Paulo pelo PDT, classifica o posicionamento das outras centrais como “assédio eleitoral sobre os trabalhadores” e terrorismo e diz que a estratégia é burra e pode dinamitar qualquer chance de aproximação com os ciristas.

Em defesa de Ciro, milhares ocupam Largo da Batata em SP

“No mesmo dia em que representantes das centrais sindicais foram ao Ministério Público do Trabalho pedir aumento da fiscalização, do combate e da punição ao assédio eleitoral no local de trabalho por parte dos empresários bolsonaristas, divulgam uma nota tentando promover assédio eleitoral sobre os trabalhadores, tentando difundir a falsa ideia de que votar no melhor projeto para o País é errado e o certo é votar em Lula no primeiro turno”, diz Neto.

O dirigente do PDT diz apoiadores de Lula têm utilizado argumentos mentirosos para acusar Ciro de linha auxiliar do bolsonarismo por criticar o ex-presidente. Segundo ele, Ciro fez inúmeras vezes a ressalva de que Lula é do campo da democracia, diferentemente do atual presidente. Eles se equivaleriam na política econômica do tripé macroeconômico e o modelo de governança política de negociações com o centrão no Legislativo.

“É preciso ter clareza: quando Ciro critica Lula, não é nada pessoal. Mas sim porque ele entende que os escândalos de corrupção, a crise econômica gerada e a retirada de direitos promovidas pelo governo Dilma [Rousseff] e a falta de mudanças estruturais nos governos Lula é que provocaram a ascensão de [Jair] Bolsonaro”, diz Neto.

O pedetista compara a estratégia de apoiadores petistas à adotada por Bolsonaro em 2018, quando, segundo ele, foi disseminada uma urgência de que era necessário derrotar o PT no primeiro turno, algo que só o então deputado seria capaz de fazer.

“Muitos eleitores de [Geraldo] Alckmin, [João] Amoedo, [Henrique] Meirelles e outros abriram mão de suas legítimas preferências e fortaleceram quem não queriam. E deu no que deu. Agora o PT está fazendo rigorosamente a mesma coisa”, afirma.

Por fim, Neto argumenta que o verdadeiro voto útil no primeiro turno seria em Ciro Gomes, para que ele tire Bolsonaro do segundo turno, que então seria “reduzido ao tamanho insignificante que merece e que, inexoravelmente, a história lhe reserva.”

“O Brasil precisa de um Projeto, não de mitos”, conclui

publicado originalmente em Folha de São Paulo

RECEBA NOVIDADES

Acompanhe tudo o que está acontecendo nas redes do Antonio Neto e receba, em primeira mão, informações atualizadas. Cadastre-se!

      SIGA-ME

      160k 
      32.7k 
      23.8k 
      12.2k 
      11.3k 
      1k 
      X